Logo adSalsa

Alguém alguma vez comparou o Email Marketing com a Arte? Existe muita gente que sabe opencantar ou dançar, mas isso não significa que seja um artista.

Um dos elementos principais no Email Marketing é a taxa de abertura, e é aqui onde se pode observar a dita comparação. Para que um espectáculo de dança ou de música deve-se ter em conta que tenha sucesso, necessita fundamentalmente de uma preparação prévia no show. Falamos do vestuário, ensaios, cartazes, entradas… E tudo isto sem mencionar a inovação e o tema a tratar.

Há que ser muito claro que se uma melhoria da taxa de abertura só terá êxito se se tiver em conta a preparação de todo o que a envolve. E é neste ponto onde entram as 6 soluções:

1. Confirmação do registo: é sabido que a confirmação do registo retarda a inscrição de um usuário. No entanto, quando se utiliza o duplo opt-in melhora-se e muito, pois também fica com uma base mais limpa que ajuda a ter uma percentagem de bounced mais baixa.

2. Base de dados: é totalmente diferente enviar Email Marketing à sua própria base de dados ou enviar a uma base de dados externa. Na sua própria base de dados deve ser muito cauteloso, nunca usar assuntos agressivos, sem “massacrar” a seu cliente, utilizando sempre o mesmo Sender, entre outros. No entanto, se o Email Marketing é para ser lançado a uma base de dados externa deve ser relativamente agressivo, engenhoso e inclusivamente ousado (pois estes usuários não o conhecem e necessita despertar o seu interesse).

3. Linha de Assunto: é evidente que a linha do Assunto é um aspecto fundamental do Email Marketing. Há gente que inclusivamente tem obsessão com estas taxas. Não obstante, um número no é fundamental, ainda que a repercussão que tenha a abertura relativamente à conversão final. Relativamente às linhas de assunto agressivas, é óbvio que quanto mais agressivo maior é a taxa de abertura; mas com o clic, e portanto na conversão final, obtém-se piores resultados. Por outro lado, é muito importante realizar o A/B testing. Em muitas ocasiões o vencedor do teste é aquele que menos se imagina.

4. Segmentação: é fundamental entender que todo o mundo tem os mesmos interesses. Assim, segundo o objectivo da sua campanha terá que seleccionar os usuários adequados. Um exemplo seria a cosmética: se quer vender cosmética, concretamente cremes anti-rugas, o seu target são mulheres com mais de 30 anos. Mas podemos ir mais longe, que são as que realmente têm interesse no seu produto. E isto acontece com tudo: idade, sexo, trabalho, viagens, cultura….

5. O tempo: o dia e a hora em que se lança o seu Email Marketing é muitíssimo mais importante. Não existe um manual ou uma bíblia do Email Marketing para favorecer a abertura. A resposta só a sua experiência pode dar bem como os diferentes testes que se faça para averiguar. Ainda assim, sempre se tem melhores resultados de manhã que à última hora da tarde.

6. Diversidade: para que os usuários não se cansem deve oferecer-lhe sempre algo distinto continuadamente porque senão “não vale a pena” abrir o email. Deste modo, utilizam-se promoções, felicitações, concursos… e um conjunto de muitas outras ideias.